LONDRES e seu transporte público

Com o Brexit, o anúncio da espera do terceiro bebê real e a comemoração dos 90 anos da Rainha Elizabeth seguido pelos 3 do Príncipe George nesses últimos meses foi o suficiente para que todas as atenções se voltassem, pelo menos por um instante, para a  Inglaterra.

A viagem até a terra dos carros na contra-mão se deu em 2015. Período de transição entre a primavera e o verão com temperaturas amenas que beiravam os 14 graus, com pouca chuva e céu esporadicamente cinza.

2016-07-22-05.22.16-1.jpg.jpeg

Uma Manchon no Canal da Mancha!!

Partimos de Paris onde pegamos o Eurostar na estação Gare Du Nord. 

O Eurostar é um trem bem moderno e de alta velocidade que conecta Londres á Paris, Lille e Bruxelas através do Eurotúnel, um túnel construído em sua grande parte debaixo d’água e que ostenta o título de maior parte submarina em um túnel do mundo chegando a 75 metros de profundidade em seu ponto mais baixo.

Infelizmente a visão quando se entra no Eurotúnel é de um túnel convencional, porém bem que poderia dar vista para as águas do canal, né?! Aliás, será que há algo para ser visto lá?

A viagem dura em torno de 2 horas e desembarcamos em St. Pancras, como é mais conhecida, Estação Kings Cross.

O sistema de cobrança para as passagens é igual a de companhias aéreas variando todos os dias. Ficamos umas boas semanas entrando regularmente para tentar pegar uma tarifa mais em conta pois um segundo país não estava no nosso budget inicial. Fechamos com pouco mais de um mês e meio de antecedência e garantimos nossos tickets por ,mais ou menos, 50 euros cada direto no site da Eurostar.

wp-1469225812969.jpeg

O que posso dizer? Nos perdemos! É …

Sim, estamos falando da mesma estação que conecta o mundo dos trouxas á Hogwarts e se nos filmes ela é toda de tijolinhos e com passagens mágicas a realidade nos traz uma bela, moderna e imensa estação. Existe sim a parte mais antiga, porém, é pequena. 

O local onde recriaram a plataforma 9 3/4 é logo na entrada da estação e de fácil acesso, porém não é uma pilastra e é de se imaginar que tenha longas filas. E tem. Ai vai do seu amor pelos filmes e livros escolher entre ficar na fila ou partir. Caso você evite filas ao máximo feito eu, sempre é possível conseguir uma brecha entre as fotos pois rola uma verdadeira produção dos fotógrafos com direito a cachecol e óculos para conseguir sua memorável foto do Harry Potter. O valor do serviço custa 8 dólares, porém você não é obrigado a efetuar a compra e se estiver com sua câmera a disposição a foto é gratuita. Próximo da atração existe uma loja recheada de artigos da saga e o local onde se retiram as fotos.

St. Pancras também é um ótimo ponto para você comprar ou recarregar seu cartão Oyster

Oyster é o cartão magnético dos transportes londrinos e funciona igualmente como o BOM, no caso de São Paulo. Para quem viaja por conta própria é uma ótima pedida pois gerencia e barateia muito bem um sistema de tarifação complexo e caro.

underground

Esse mapa assusta, né?! Nas primeiras vezes em que coloquei o olho nele não conseguia localizar local algum.

 

A cobrança se dá por zonas, as áreas numeradas no mapa, e não por viagem o que já difere do sistema brasileiro de metrô. Tenha isso sempre em mente!

A diferença de valor é gritante! E esse é um dos principais motivos pelo qual vale tanto a pena perder uns minutinhos e adquirir o cartão. Enquanto os usuários convencionais do metrô pagam, utilizando como exemplo a zona 1, uma tarifa de £6,50 com o Oyster o valor cai para £2,40. 

Outro benefício louvável do cartão é que após atingir o valor diário estabelecido você não paga mais pela viagem. Na zona 1 este teto é de £6,50. Economia esperta.

Recarregar é fácil, geralmente não tem filas e existem postos de venda em todas as estações do metrô espalhadas pela cidade. O cartão é aceito em todas as linhas de ônibus, trem, bonde e no monotrilho DRL.

O custo do cartão é de £ 5,00 reembolsáveis em caso de não uso.

Londres é uma cidade linda onde o antigo e o contemporâneo se completam totalmente. Ponto positivo para a cidade que tem suas principais atrações todas próximas fazendo o uso de táxi ou ônibus turísticos bem desnecessários. 

Mais inglês que chá das cinco, fish and chips e os soldados do exército britânico talvez só mesmo os famosos ônibus vermelhos de dois andares. 

Atração á parte, é só um deles passar que todos param para olhar e tirar muitas fotos. Natural, não é todo dia que você pode enquadrar os maiores símbolos da cidade em uma única foto e preciso registrar: O resultado é épico!

2016-07-24-05.53.46-1.jpg.jpeg

O modelo antigo, Routemasters, deixou de ser fabricado antes das Olimpíadas de 2012 e em seu lugar entrou em circulação um modelo totalmente repaginado, com design inovador e melhorias para aumentar o conforto e segurança assim como implementar mudanças necessárias para se tornar acessível a todos.

Diferentemente do Brasil, os pontos de ônibus são sinalizados por uma placa contendo um círculo vermelho cortado por uma linha central bem semelhante ao símbolo do metrô ( ou underground), porém na cor vermelha.

2016-07-24-06.22.35-1.jpg.jpeg

Nessas placas de sinalização contém o nome do ponto seguido do sentido de seu curso. Ainda sinalizam todas as rotas que passam por aquele trecho, assim como se são frotas diurnas ou noturnas e se requer a compra antecipada de sua passagem.

Ufa! Mas só isso?! Não, meu caro leitor, ainda é necessário se atentar a mais dois detalhes bem importantes.

1. As placas vermelhas com o símbolo branco significam que naquele ponto, em especial, você deve sinalizar para o ônibus parar senão ele passará reto.

2. O sentido das ruas são invertidos então logicamente os dois percursos de ida e volta também são.

Um sistema muito eficaz para quem quer se mover feito local e ainda conhecer todos os cartões postais da cidade, entretanto nos horários de rush costuma ser extremamente cheio tal qual o metrô.

Vale acrescentar ainda que ,diferentemente do Brasil, o motorista não parará caso você não esteja no ponto de ônibus. Não adianta correr tampouco fazer sinal de fumaça. Tudo muito certinho.

Terra da rainha e do transportes, de um mapa difícil e de um povo que acredita veemente que o seu é o verdadeiro inglês e quem somos nós para dizer que não?! Uma cidade com quê de São Paulo infincada num canto da Europa, que troca o cinza pelo colorido em questão de metros e que vai da boemia ao caos em questão de poucas estações. O que dizer mais? Londre-se!

London-Skyline-Wall-Sticker-City-Skyline-Silhouette-Building-Wall-Decal-Bedroom-Skyline-Wall-Art-Sticker-Home

Beijos,

assinaturablog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s